Furos e flagras dos famosos

ULTIMA NOTÍCIAS

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

“Prefiro que mostrem minhas celulites do que deixar de ir à praia”, diz Monica Iozzi sobre exposição

Uma das campeãs de cartas da Globo, atriz e apresentadora diz que deixará "Vídeo Show" no ano que vem para voltar a atuar, fala sobre as dificuldades de lidar com a fama e a vontade de ser mãe


"AINDA NÃO SEI COMO LIDAR COM ISSO, ESTOU ENTENDENDO O QUE ESTÁ ACONTECENDO", DIZ MONICA IOZZI SOBRE A FAMA REPENTINA (FOTO: REPRODUÇÃO/FACEBOOK)


O sucesso de Monica Iozzi foge à regra: ela não foi mocinha de novela das 21h e nem faz o tipo mulherão, mas faz a audiência alavancar por onde passa. Prova disso é que, desde que assumiu a bancada do "Vídeo Show" ao lado de Otaviano Costa,  a audiência do programa mais que dobrou. Espontânea, irreverente e sem papas na língua, a ex-repórter do "CQC" (Band) conquistou o público e se tornou uma das campeãs de cartas da Globo.
Mesmo assim, a apresentadora "por acidente", disse em entrevista  que não permanecerá na atração no ano que vem. "Adoro apresentar, porém meu coração bate acelerado quando estou no palco, gravando ou filmando", conta ela, que tem engatilhados dois filmes em 2016.
A seguir, a paulista - que trabalhava como vendedora de livros antes de entrar na TV - fala sobre a dificuldade de lidar com a fama repentina, diz se arrepender de alguns comentários polêmicos nas nas redes sociais e, aos 34 anos, conta que a vontade de ter filhos está batendo à porta.

Pergunta: Você acaba de ganhar um prêmio de melhor apresentadora, mas sua formação é como atriz.  Sempre teve vontade de apresentar?

Monica Iozzi: Nossa, não! Brinco que foi um bom acidente de percurso porque realmente nunca pensei em apresentar um programa. Não foi uma escolha. Não foi uma coisa que busquei. Aconteceu. Não sou de fazer grandes planos e dou atenção ao que a vida me apresenta. O Boninho me convidou na quarta-feira pro "Vídeo Show", gravamos um piloto na quinta e estreei na segunda. Mas tudo bem, as coisas costumam acontecer de um jeito meio inusitado na minha vida (risos).

Pergunta: Pensa em voltar a atuar?

MI: Estou com um projeto de voltar no ano que vem. Ainda não estou com uma data específica pra sair do "Vídeo Show", mas não vou permanecer. Adoro apresentar o programa, porém meu coração bate acelerado quando estou no palco, gravando ou filmando. Ano que vem vou fazer dois filmes, mas ainda não tenho data fechada.

Pergunta: Sabe-se que quando você entra um programa de TV, a audiência aumenta. Prova disso é o “Vídeo Show” e o “Tomara que Caia”. Por que acha que isso acontece?

MI: Muito louca essa história, né? (risos). Acho que essa coisa de brincar, do improviso - que eu faço muito no "Vídeo Show"- surpreendeu as pessoas de maneira positiva. Durante um tempo foi uma coisa que me preocupou um pouco, porque, às vezes, falava e depois pensava: "meu Deus, não precisava!" (risos). Mas percebi que está funcionando. A resposta que tenho das pessoas é muito boa. Tento brincar e dizer coisas que falaria com amigos na sala de casa. Essa espontaneidade aproxima e tira um pouco da glamurização da televisão. Mas não sei ao certo, são impressões.

Pergunta: Você tem ganhado bastante projeção na Globo. Tem dimensão do seu sucesso? Como lida com a fama?

MI: É um processo esquisito pra mim ainda, sabia? Nunca pensei em trabalhar com algo que me tornasse uma pessoa famosa. Apesar de ter feito faculdade de artes cênicas, sempre me vi como aquela pessoa que ia dar aula de teatro. Estava começando o mestrado quando entrei na TV. Agora que estou num programa diário, notei uma mudança grande. As pessoas me reconhecem mais, estou no bar e vejo um paparazzo…Coisas que você sempre fez tomam outra dimensão. A primeira vez que um cara parou na minha frente no aeroporto e ficou tirando fotos foi estranho. Ainda não sei como lidar com isso, estou entendendo o que está acontecendo.


MONICA IOZZI E OTAVIANO COSTA COMANDAM ATUALMENTE O "VÍDEO SHOW" (FOTO: DIVULGAÇÃO/TVGLOBO)


Pergunta: Mudou alguma coisa na sua vida por causa da fama?

MI: Não mudar nada é impossível, até porque preciso manter um pouco da privacidade, mas quero mudar o menor número de coisas por causa da fama. Prefiro que me fotografem e mostrem que tenho celulites do que deixar de ir à praia. Até agora não deixei de fazer nada...Talvez tenha me mantido mais sóbria nas festas (risos).




Pergunta: Você é uma pessoa que faz comentários polêmicos, não só sobre o mundo do entretenimento, mas também em relação à política e outros assuntos. Fica com receio da repercussão que isso pode causar?

MI: Nas redes sociais não estou trabalhando como atriz ou apresentadora. Sou eu, Monica, pessoa física. São coisas que escreveria se ainda trabalhasse vendendo livros. Não falo pensando em causar polêmica e em quantos likes vou ter. Só não quero deixar de falar coisas porque estou na TV. Sempre vai ter alguém que interpreta da maneira errada e de vez em quando sou mal compreendida por usar muito a ironia. Mas é claro que, às vezes, me arrependo e mudo de ideia.

Pergunta: Do que já se arrependeu? Deixou de publicar algo? 

MI: Nunca deixei de escrever, já pensei em apagar, mas não apaguei. Teve um episódio de um rapaz que foi acusado de roubar um celular e foi preso num poste e espancado quase até a morte. E a Raquel Sheherazade, que eu nem sabia quem era, fez um discurso defendendo aquilo. Não aguentei e fui no Twitter e chamei ela de reacionária imbecil. Realmente acho isso, mas também acho que não precisava ter chamado ela dessas coisas em rede nacional (risos). Às vezes, pra criticar alguém, você tem que ser comedida, se não, perde a razão.



Pergunta: O episódio com as panicats foi um dos mais polêmicos. Você é contra que mulheres façam esse tipo de trabalho?

MI: Não. É maravilhoso termos chegado num ponto em que as mulheres são donas dos próprios corpos. Já fiquei nua no teatro e se precisar ficar nua em mais algum trabalho relevante, vou ficar. Se me der a louca no Carnaval, saio nua. Minha crítica não é moralista. Critiquei um quadro específico, em que as meninas ficam de biquíni de quatro e eles filmam por trás - com um close quase ginecológico. Não vejo elas à vontade e acho uma condição humilhante. Como mulher, me machuca e me incomoda. Uma delas até concordou comigo em off.

Pergunta: Tem algum trabalho que não faria?
MI: Como atriz tenho alguns limites. Jamais faria o filme “Ninfomaníaca”. Admiro, acho um debate incrível, um trabalho artístico maravilhoso, mas não tenho o desprendimento e nível de doação daquela atriz. Você doa seu corpo, sua sexualidade…Naquele ponto não conseguiria chegar.


Pergunta: Você é campeã de cartas de fãs, muitos apaixonados, da Globo. Depois de entrar na televisão o assédio aumentou?

MI: Não, piorou! É um processo contrário para a mulher. Os meninos do "CQC" falavam que antes não pegavam ninguém, agora ficam com [mulheres] tipo modelo da Victoria’s Secret. Mas com mulher é diferente. Hoje está mais difícil achar homens que tenham uma postura masculina de tomarem a iniciativa de uma maneira que não seja pedreira. Quando você fica famosa, o cara ainda pensa: 'levar um fora já não é fácil, levar um fora da Cleo Pires deve ser foda' (risos). 

Pergunta: Já tomou a atitude quando quis sair com alguém?

MI: A vida inteira tomei a atitude. Não sei se é porque sempre fui muito alta ou tinha cara de brava…Teve uma época que achei que era feia porque todas as minhas amigas tinham um namoradinho e eu não.

Pergunta: Você está namorando? Tem vontade de casar e ter filhos?
MI: Sim, estou há pouco mais de um ano com o Felipe Atra, que é jornalista e conheci na época do "CQC". Não pensamos em casamento ainda. Não sei se vou casar de maneira tradicional na Igreja, fazer uma festa e usar um vestido branco, mas tenho pensado em ter filhos. Estou com 34 anos e minha mãe já começou [a pedir netos]... Ela ia ficar tão feliz que não ia querer nem saber quem é o pai. Falam que depois do 30 fica mais complicado, mas filho não é que nem trem que você perde a hora. Não vou ter um filho agora porque vai ser mais difícil depois. Vou ter quando tiver certeza. Se for muito tarde, ok. Com 34, tenho que fazer academia e não ter um filho (risos).
“Prefiro que mostrem minhas celulites do que deixar de ir à praia”, diz Monica Iozzi sobre exposição
  • Title : “Prefiro que mostrem minhas celulites do que deixar de ir à praia”, diz Monica Iozzi sobre exposição
  • Posted by :
  • Date : novembro 25, 2015
  • Labels :
  • COMENTAR
  • Facebook COMENTAR

0 comentários :

Deborah Secco tranquiliza os fãs após ser internada

Deborah Secco tranquiliza os fãs após ser internada
Atriz teve uma traqueobronquite e teve que se afastar das gravações de Malhação
Top